Será que seu filho entrou na fase da individuação?

Nessa fase é natural que os adolescentes se afastem dos seus pais, mas existe um motivo para isso. A fase da individuação é a primeira fase da adolescência, também chamada por Lisa Damour, especialista em adolescência, por fase do abandono da infância. 

Nessa fase que acontece por volta dos 12 anos o adolescente sente uma pressão repentina por deixar de ser criança e de se separar de quase tudo o que lhe parece infantil. De repente sua criança para de compartilhar segredos com você, já não gosta mais do apelido carinhoso que você deu a ele, deixa claro o quanto odeia tirar fotos com você e contesta tudo o que você diz

Os sinais da individuação são muito claros e dolorosos para os pais, mas se não encararmos isso como uma rejeição extremamente pessoal, podemos dar espaço para nossos filhos crescerem. E ver esse florescimento pode ser emocionante de um jeito bom. 

A adolescência não precisa se parecer com uma montanha-russa

Muitas vezes tratamos a adolescência olhando o seu lado mais sombrio. Como um período destinado a ser doloroso e turbulento para os adolescentes e para os pais. Fazemos parecer que criar uma adolescente é como andar em uma montanha-russa: a família toda embarca, se seguram com força e rezam para que tudo isso acabe logo. E ao final, os pais esperam que sua filha ou seu filho adolescente desçam do carrinho como adultos felizes e saudáveis. 

Eu vim aqui para te contar que não precisa ser assim. Existe um padrão previsível no desenvolvimento dos adolescentes, como se fosse um mapa. Entretanto, para explorar esse mapa é preciso explorar também a sua adolescência. Afinal, você está revivendo a adolescência novamente, só dessa vez no papel de mãe ou pai. E caso tenha ficado algo lá atrás que te machucou e que não foi resolvido, pode ser que algum comportamento do seu filho ou filha acabe sendo um gatilho que vai abrir essa ferida. Por isso, para começar a entender e compreender essa fase do seu filho, você vai precisar entender e compreender a sua própria adolescência. Se sente preparado? 

Então  comece refletindo sobre as seguintes perguntas:

Como você se lembra da sua adolescência? 

Como você lidou com a novas emoções e sensações que foram surgindo nessa fase? 

Você teve medo de não fazer amigos, se sentiu esquisito? 

Tinha a necessidade de ficar sozinho ou sozinha? 

Você sabia como lidar com os desafios de forma emocionalmente controlada ou perdia o controle seja chorando muito no meio da noite, ou quebrando suas próprias coisas?

Você se lembra como seus pais lidaram com essas mudanças que ocorreram com você?  

Pode ser que pensar sobre isso seja doloroso no início, mas é um passo importante que você como mãe ou pai precisará dar. 


What's Your Reaction?

divertido divertido
666
divertido
inspirado inspirado
333
inspirado
feliz feliz
2997
feliz
oh meu Deus oh meu Deus
1998
oh meu Deus
motivado motivado
999
motivado
gostei gostei
2664
gostei
Juliana Palma

Pedagoga, Psicopedagoga, Psicomotricista e Ma em Educação. Acadêmica do curso de Psicologia na Universidade São Franciso. Analista Comportamental e Terapeuta em ABA. "Descobri o TDAH aos 33 anos e hoje me dedico a ajudar outros adultos na avaliação e na intervenção do transtorno." Atendo crianças, adolescentes, adultos e idosos em seu espaço psicopedagógico online e na cidade de Bragança Paulista.

0 Comments

Leave a Reply